Denúncia do Procon-TO leva Ministério da Justiça a processar Claro por cobranças indevidas

É bom quando vemos o Tocantins figurando no noticiário nacional por conta de algo positivo. Desta vez a notícia positiva vem de encontro aos interesses do consumidor usuário de telefonia celular, em particular os clientes a operadora Claro. É que ontem o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça informou ter instaurado processo administrativo contra a Claro para investigar denúncias de que a operadora estaria realizando cobranças indevidas de serviços não contratados pelo usuário.

E o que o Tocantins tem a ver com isto? Simples, o próprio Ministério da Justiça informa que as denúncias partiram do Procon do Tocantins, que enviou documentos ao DPDC 

demonstrando as cobranças indevidas feitas a clientes da Claro. Após examinar documentos e ouvir, de forma preliminar, a empresa, o Departamento concluiu que os indícios de infração a direitos básicos do consumidor e de prática comercial abusiva no fornecimento de serviços são grandes, e por isto abriu o processo administrativo, que pode terminar com uma multa de até R$ 6,2 milhões. A Claro tem dez dias, a partir do recebimento da notificação, para apresentar sua defesa, segundo o MJ.

As asinhas das operadoras precisam mesmo ser cortadas. Voam em céu de Brigadeiro com ganhos crescentes, e são as campeãs de reclamações nos órgãos de defesa do 

consumidor. Tomara que a iniciativa se amplie também para as outras operadoras. Há um dito popular que diz: “o povo aumenta, mas não inventa”. Se as operadoras de telefonia lideram as denúncias de consumidores então há sim razões de sobra que justifiquem uma ação coordenada do Ministério da Justiça e do Ministério Público Federal que culmine com uma grande auditoria nas contas e nas operações destas empresas. O consumidor merece!

Eu sou Melck Aquino, e essa é a minha opinião.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *